SOBRE O COELHO E O CORDEIRO

2018-05-25T17:32:55+00:00 1 de Abril de 2018|Blog|0 Comentários

É domingo e crianças do mundo todo seguem as pegadas “deixadas pelo coelhinho” em busca de chocolates escondidos. A tradição popularizou-se mas sem entendermos o porquê.

A páscoa é uma festividade de origem judaica (o Pessach), que comemora a saída dos judeus do Egito com destino à Terra Prometida. Nesta ocasião, os judeus ofereciam uma oferta de paz a Deus, o Senhor. Matavam um cordeiro, cortavam em pedaços e assavam. Um jantar comunitário era repartido entre o povo ao final de um culto de sacrifício que simbolizava a reconciliação de um povo pecador com seu Deus santo. Um sacrifício de sangue deveria ser feito para aplacar a ira de um Deus justo que deveria punir a transgressão. De geração em geração, esta celebração foi para muitos, a festa do perdão, do amor e da gratidão de um povo que foi liberto da escravidão.

E o que tem a ver com o coelho, com o ovo e o chocolate?

O ovo representa o povo de Israel, que com suas intempéries e provações, não perdeu sua identidade, sua forma, como o ovo que, cozido em alta temperatura, permanece com o mesmo formato. O coelho representa fertilidade e prosperidade. O chocolate veio como uma irresistível jogada de marketing para agregar ao mercado esse belo presente para esta data. Mas hoje queremos compartilhar com você o porquê desta data ser tão importante para o cristianismo.

Foi na festividade do Pessach, que o Salvador foi condenado e morto em nosso lugar. Todos nós pecamos e somos culpados perante o Deus justo e santo. A única forma de nos reconciliarmos com Ele foi oferecendo o mais perfeito sacrifício. O que poderia ser melhor do que um cordeiro, do que um homem puro? Quem melhor do que o próprio filho de Deus, morto como sacrifício e oferta de paz em favor de seres tão falhos como nós? Com este sacrifício, veio a libertação da escravidão do pecado. Sim, nosso pecado nos escraviza. Nossos vícios, nossas falhas, nossas más escolhas, o rancor, o ódio, a ganância, a libertinagem etc. O único capaz de pagar por uma vida de transgressão e garantir a salvação é Jesus Cristo, o cordeiro de Deus. Que não apenas foi morto, mas venceu a própria morte e 3 dias depois ressuscitou. Da mesma forma somos não apenas libertos dos nossos próprios erros, mas também da morte, por meio daquele que nos espera de braços abertos na Eternidade.

Celebre a Páscoa com sua família, dê e receba de bom grado todos os chocolates, mas lembre-se que o mais doce significado desta data, é o amor sem medida e sem limites que não poupou sacrifício para nos reaproximar do Pai.

Deixar Um Comentário